Arquivo para novembro \08\UTC 2012

Bigbrother

 

Fisiologia da paisagem

O que você faz em prol do ambiente brasileiro?

Economizo água, energia, tenho carro flex… Vamos dar um passinhos mais, pessoas?

Vi umas das piores matérias na Carta Capital… Se tratava de uma notícia sobre os embargos que os empreendimentos hidroelétricos (por assim dizer) têm sofrido (tadinhos).

Um olhar tendencioso, claro, com vistas às indústrias, maiores beneficiadas nesses aumentos de ¨uats¨ que estas usinas de energia vão trazer. As pessoas (classe média alienada, como falou o autor do artigo, ou seja, boa parte dos que se prostram a favor dessas empreitadas) infelizmente não entendem de processos ecológicos, da intricada rede na qual vivemos, mas dinheiro no bolso e energia pra encher o bucho de cerveja e falar besteira, assistindo o jornal nacional, novela e futebol compreendem…

Desculpem o ataque, mas… Pessoal, pra quem não tem filho, pensem nas crianças dos outros, nos outros seres que vivem aqui e nos elementos da paisagem (rios, matas, chuvas, ventos) como importantes e fundamentais para a regulação do clima, dos ciclos de chuva, de vida. É importante novas formas de se fazer uma cidade, lócus da vida humana, considerando a fisiologia da paisagem.

Todo ano se reclama que existe seca no RS, chove muito em Sampa, sertão com menos regime de chuva… A floresta que vai ser inundada influencia nisso. E o arcon ligado não vai anular esse fator, apenas esconde-lo e pedir mais energia…

Acho que todos deveríamos plantar árvores e morar em edifícios mais inteligentes. ISSO!! Inteligentes no sentido de otimizar o uso de energia, minimizando sua necessidade, plantar árvores para uma cidade com ar menos poluído, ruídos, pedalar mais, pegar mais ônibus, engajar em lutas por cidades melhores e menos corruptas. Todos nós podemos fazer isso!! O que você faz?

Potencial eólico, solar, nosso país tem de sobra, mas ficamos sentados do trono olhando os ¨governantes¨ (que deveríamos ser nós, pois os escolhemos) escolherem o destino em favor de seus bolsos e trocas de compadres… Pensemos!