Posts Tagged ‘ terra ’

Guarani, todos somos

 

Via Quadrinhos Rasos

Anúncios

Elementos

 

A fogueira que sobe pro céu
A terra a sustentar o fogo leve e quente. A terra imóvel, carregada pelo vento e dissolvida na água.
Meditativa é a terra. Estamos aterrados!

“A água com areia, brinca na beira do mar, a água passa, a areia fica no lugar”

Ela, molhada, desce com o peso. Esquenta com o fogo e forma ondas com o vento.
Somos rios e mares dentro de nós.

O vento brinca rodando tudo ao seu redor, leve, balança a rede e estamos nela. Passa as páginas do livro da vida e levanta poeira. Excitado pelo fogo do sol, de brisas a  tempestades alisa as árvores.

O fogo balançado pelo vento esquenta a terra, a água e nos dá luz.

Cada lampejo de pensamento é fogo.
Somos água que corre dentro de nós.
Passea o ar dentro de nossas árvores internas.
A terra está em todo o corpo. Cada parte de nós é ela.

Como sentir isso imerso em tantas intempéries que conturbam nossa vista? A atenção passa! Não conseguimos atentar para os elementos dentro de nós porque temos muita informação e uma realidade difusa do lado de fora. Filhos, mães, o celular, trabalho, estradas, carro, prefeitura, lutas, ativismos, cores, distrações reais que podem ser modificadas. Esquecer a vida “comunhada”? Não, mas atentar o básico, o simples na frente de nossos olhos. Nele podemos encontrar respostas para a realidade distraída e complexa.

Economia para os economistas

Esses economistas…

Se você tem uma coisa que tá acabando, o que faz?
a- Economiza
b- Gasta

Pela teoria, devia-se usar menos para alguns poucos usos futuros, né??
Raciocínio lógico de economia domiciliar (a terra seria uma espécie de casa, não?), de mercado, e por aí, vai… mas dá-se subsídios pra usar mais um recurso que já está em vias de ser consumido até o fim. É muito contrasenso. Isso não é deseconomia?

Enquanto isso, a energia que vem do vento, do sol, que são muito mais baratas, disponíveis (alguma coisa relacionada a lei da oferta e da procura), não recebem apoio financeiro. Por que será? Interesses que não são mais excusos, estão na cara. Só é segredo para quem quer, ou se faz de ignorante. Os grandes do petróleo: indústria automobilística, petrolíferas, governos… todos querem mamar no seio da terra e se esquecem do futuro.

Sem falar no mal que é consequência do uso do petróleo. Aquecimento global não é apenas um argumento, mas um fato. Podemos discutir, mas… Seja por conta de nosso estilo de vida, combustíveis fósseis, ou não, sabe-se que o planeta está aquecendo. Eu, particularmente, acredito que influenciamos, e muito, o clima de nossa nave-casa. Tanto pela queima de combustíveis fósseis, quanto pelo desflorestamento por aumento de fronteira agrícola, consumo de madeira nobre da floresta amazônica, mata atlântica, caatinga e cerrado.

Não defendo o uso indiscriminado, mas que ele possa (como recurso) ser gerido de uma maneira mais inteligente, viável e sustentável em todos os aspectos possíveis.

Cartoons Michael Kountouris

CUIDADO

Certo dia, ao atravessar um rio, Cuidado viu um pedaço de barro. Logo teve uma idéia inspirada. Tomou um pouco de barro e começou a dar-lhe forma. Enquanto contemplava o que havia feito, apareceu Júpiter. Cuidado pediu-lhe que soprasse espírito nele. O que Júpiter fez de bom grado. Quando, porém, Cuidado quis dar um nome à criatura que havia moldado, Júpiter o proibiu. Exigiu que fosse imposto o seu nome. Enquanto Júpiter e o Cuidado discutiam, surgiu, de repente, a Terra. Quis também ela conferir o seu nome à criatura, pois fora de barro, material do corpo da terra. Originou-se então uma discussão generalizada. De comum acordo pediram a Saturno que funcionasse como árbitro. Este tomou a seguinte decisão que pareceu justa: “Você, Júpiter, deu-lhe o espírito; receberá, pois, de volta este espírito por ocasião da morte dessa criatura. Você, Terra, deu-lhe o corpo; receberá, portanto, também de volta o seu corpo quando essa criatura morrer. Mas como você, Cuidado, foi quem, por primeiro, moldou a criatura, ficará sob seus cuidados enquanto ela viver. E uma vez que entre vocês há acalorada discussão acerca do nome, decido eu: esta criatura será chamada HOMEM, isto é, feita de húmus, que significa terra fértil.

Versão livre da fábula-mito de Hyginus

“Quando eu me encontrava preso…”

Quer mais?

Quadrinhos rasos