Posts Tagged ‘ sustentabilidade ’

Todos somos assim?

 

Tribo de amor

Caminhava sozinho inicialmente. Uma tranquilidade tomava o corpo, o espírito, a mente coração. Leveza da qual me lembro poucas vezes ter sentido, mas senti.

Como geralmente estamos acompanhados independente de nossa solidão, apareceram os “Algodão-branco”. Pessoas com roupas claras, rasgadas, pela textura, algodão que se desfazia sem compromisso de ser recolocado, costurado. Simplesmente viver o tecido da pele.

Íamos nos olhando, todos seres que miravam a Tribo de Amor localizada à frente. Onde? Não sabíamos exatamente, mas caminhávamos acompanhados de nós mesmos e toda aquela energia que não sabia de onde vinha! Saltos, risos e mais passos.

De repende… Capuzes negros. Se aproximaram de nós e tomaram uma postura de seguir. Isso inquietou, fez-me tomar uma postura defensiva e ofensiva. “Quem são vocês? O que querem? Não machuquem ninguém!” Minha preocupação era com os “Capuz-negro” que escondiam o rosto. Disserram que estavam conosco na caminhada. Senti-me triste. Como pude ser tão preconceituoso? De fato, estavam conosco. Eram seres de luz, mas de outro lugar e que só emitiam a claridade quando necessário. Percebi que precisava me desprender das visões que me limitam a mim como centro (que também somos). “Somos seres de luz, meu irmão!” Fizeram sinal da cruz, nos abraçamos, inclusive o capitão “Algodão” se distanciou um pouco. Depois, chegamos juntos e nos abraçamos na caminhada, como quem é irmão. Éramos irmãos de passos e caminhávamos.

Mais gente se juntava. Pessoas de todas as cores e forças. Sorrisos, olhares, danças… Uma mutidão que sabia tomar um rumo para o bem. Para escolhas e contatos que faziam mundos melhores. Uma deusa pula na minha frente, sorri e dança e pula e sorri. Piscamos os olhos juntos. Quando abro os olhos, estou com um gigante sorriso. Deitado na minha cama. Sentindo que estou junto e me unirei a mais pessoas de luz. Perco o sono! Sem estar cansado ou chateado por isso. Simplesmente recarregado, cheio de energia pra criar, sentir, viver…

Segunda vez que entro nesse caminho dos sonhos. Essa vez fui mais adiante. Espero me encontrar com meus companheiros novamente. Não chegamos onde sentíamos que ia chegar… Por enquanto.

Seria o encontro que reunirá gente desse mundo para um melhor futuro-presente? Senti de vez que a força da Rio+20 e da Cúpula dos Povos é mais que uma reunião de pessoas pela economia, sustentabilidade, cidades melhores, mas na verdade, uma congregação de seres que sentem a mudança chegando. Estarei lá!

Tantos movimentos em nossas cidades. Pessoas se juntando pra o BEM. Gratidão a todos os coletivos, grupos, forças de mudança para um mundo melhor e justo.

Gratidão pelas visões que me chegam nos devaneios.

Economia para os economistas

Esses economistas…

Se você tem uma coisa que tá acabando, o que faz?
a- Economiza
b- Gasta

Pela teoria, devia-se usar menos para alguns poucos usos futuros, né??
Raciocínio lógico de economia domiciliar (a terra seria uma espécie de casa, não?), de mercado, e por aí, vai… mas dá-se subsídios pra usar mais um recurso que já está em vias de ser consumido até o fim. É muito contrasenso. Isso não é deseconomia?

Enquanto isso, a energia que vem do vento, do sol, que são muito mais baratas, disponíveis (alguma coisa relacionada a lei da oferta e da procura), não recebem apoio financeiro. Por que será? Interesses que não são mais excusos, estão na cara. Só é segredo para quem quer, ou se faz de ignorante. Os grandes do petróleo: indústria automobilística, petrolíferas, governos… todos querem mamar no seio da terra e se esquecem do futuro.

Sem falar no mal que é consequência do uso do petróleo. Aquecimento global não é apenas um argumento, mas um fato. Podemos discutir, mas… Seja por conta de nosso estilo de vida, combustíveis fósseis, ou não, sabe-se que o planeta está aquecendo. Eu, particularmente, acredito que influenciamos, e muito, o clima de nossa nave-casa. Tanto pela queima de combustíveis fósseis, quanto pelo desflorestamento por aumento de fronteira agrícola, consumo de madeira nobre da floresta amazônica, mata atlântica, caatinga e cerrado.

Não defendo o uso indiscriminado, mas que ele possa (como recurso) ser gerido de uma maneira mais inteligente, viável e sustentável em todos os aspectos possíveis.

Cartoons Michael Kountouris

Carro ou bici?

O danado é que ainda se perguntam…

Ovo ou Galinha?

Seu celular, guerra e mortes no Congo?

Eitaaaa!! Ano novo (nem é mais), vida nova, celular novo, carro novo… Coisa boa, né?

… mas vamos imaginar que os minérios (cobalto, especificamente) componentes dos celulares, a marca que for, vêm de algum  lugar do planeta, e cair na real que essa indispensável parte integrante do solo não brota sozinha e entra nos celulares por que quer.

Pois é, em algum lugar da República Democrática do Congo tem gente que paga um preço muito mais alto do que a bagatela de 1000 reais por um Ifaznumseioquê que você tá doido pra comprar, ou um Blackbomba, que te permite ligar, comer e nem precisar conversar mais com as pessoas na tua frente.

Quer dar uma olhadinha mais a fundo? Saca esse Trailer…

Uma curta descrição do Filme:

Amamos nossos celulares e a possibilidade de escolher diferentes modelos nunca foi tão grande. Mas sua produção tem um lado sombrio e sangrento. Ao comprar os chamados “minerais de sangue” necessários para sua confecção, as fábricas de aparelhos celulares estão indiretamente financiando a guerra civil da República Democrática do Congo – que segundo organizações de direitos humanos tem sido o conflito mais sangrento desde a 2ª Guerra Mundial. A indústria mineradora ilegal é controlada por grupos armados. A guerra continuará enquanto estes grupos conseguirem financiar sua vida militar com a venda destes minerais que acabam em nossos celulares.

Vamo sangrar mais pessoas com nossa loucura por celulares e infernos digitais. Hoje, sei que usamos de maneira vertiginosa, mas daí a enlouquecer todos os anos por coisas novas, nos enganando que não são supérfluas? Fico impressionado com a loucura por filas no Japão, EUA, Europa e Brasil por um novo modelo de aparato digital que está associado a morte.

Vamos despertar!!!

Essência ficou no lugar

Vamos nos transformar